segunda-feira, 16 de março de 2015

Idioma

A princípio era uma língua de outro mundo.
Hoje, o meu "te amo" sai em catalão.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Dramaturgia

Eu queria te falar tudo.
Primeiro deixei de querer,
Depois parei de falar.
Agora é tudo.

sábado, 8 de março de 2014

Teus Grandes Olhos

Por que o teu ou os teus olhares me fazem tão bem? 
Desvendei tua identidade, invisível segredo em observar-me. Teu olhar treinado, tua infinita paixão por linhas, curvas, pontos e minhas pintas, pintadas pelos raios que entram ao amanhecer, ou pelo abajur que me pedes para apagar depois do suspiro gozado.

Teu gosto pelas texturas mundanas inventadas, tua busca incessante por penetrar para além do que a lente pode captar, os quatro segundos que estabeleces para primeiro, segundo e terceiro plano e o plano de despertar-me com o clic-clac, tentando imortalizar o quadro do quarto. 

É que teu carinho vem sempre com legenda, teus olhos eternos projetores de satisfação e em um simples passeio me transformas em tua musa eterna, sendo protagonistas minhas botas, perucas, personagens ou gritos. Agarra-me pelo braço e diz que meu cabelo branco negro ou os meus olhos são pontos de fuga por onde fugindo te encontrastes.

Teu sorriso discreto no canto da boca e da festa, enquanto me viro do avesso com todos os olhares não-treinados ao meu redor. 

Não há experiência mais incrível em ser teus pixels, casamento feliz ainda que por uma noite.

Eu bailarina e tu, foto.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Ex de Ex

"Pós-vômito fictício nada real"

Notas:
As letras podem ser substituídas por pronomes pessoais do caso reto, caso queira uma adaptação em experiência direta.
A ordem altera totalmente o produto atual, mas não a intensidade dos fatores envolvidos.
Antes de começar, faz-se necessário prever o final: A e C se tornarão inseperáveis.

Século XXI
Uma tela de computador
Personagens: Simulacros da vida pós-moderna como perfis pessoais de redes sociais não sociáveis, nominados de A a ...)



Com muito receio, A venceu o medo em ler os 15 comentários da foto que B havia publicado.
A já sabia, com sua intuição feminina e com a ajuda de um desses aplicativos localizadores, onde aquela foto havia sido clicada.
A também deduziu, sem grandes dificuldades, que aquela foto teria sido tirada por C, afinal, não era isso que havia reunidoB e C? olhares, poses, sorrisos, pensamentos...?
Na foto, B olhava para longe, através de uma janela, com uma doçura que normalmente seria captada por suas próprias lentes inquietas e instáveis. A se reconheceu no olhar de B e também estranhou. Amaldiçoou por 2 ou 3 segundos a existência de C.


Para a sua surpresa, A encontrou palavras de D que a tiraram do lugar. Sentiu-se cúmplice do olhar de B mas já não era a única. Sorriu ao imaginar o passado de B com D, com E, F, ou mesmo com G. Alegrou-se pela preocupação de E nos últimos dias e constatou a semelhança outrora relatada.

Deliciou-se recordando das lentes e janelas atravessadas ao lado de H, I e J - de José - e já desejava o alfabeto inteiro.

Satisfeita por viver, A abriu a mão e deixou B escorrer. Daria um beijo macio, mas como se sentiu um pouco ridícula em beijar a tela (mais uma vez) clicou em curtir e foi comer macarrão de letrinhas.

sábado, 26 de outubro de 2013

A nova você me espeta

Pela sua atual localização
Quase um susto que esteja.
Gozando com uma família nova,
Tem cachorro? Gato, periquito ou papagaio?

Para quê cautela, querer acertar tudo?

Justificações e argumentações infindas.

Quando convidei, quando insisti.
Quando para mim, disse tantos nãos.

A nova você me espeta
A nova você não espera